Metalúrgicas e metalúrgicos de Minas Gerais entregam a pauta à Fiemg

O pontapé inicial da Campanha Salarial Unificada dos Metalúrgicos de Minas 2018 foi dado nesta terça-feira, 31 de julho, com a entrega da pauta de reivindicações na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). O principal desafio da campanha deste ano será, além de conquistar um reajuste salarial que represente a valorização dos trabalhadores, a manutenção das cláusulas sociais.

“A única forma de proteger os direitos dos metalúrgicos do desmonte da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que vem acontecendo depois da aprovação da antirreforma trabalhista, é através da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT)”, ressaltou Geraldo Valgas, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e Região (Sindimet).

Entre as várias cláusulas da CCT, vale destacar a que retorna com obrigatoriedade das homologações das rescisões contratuais no sindicato. A antirreforma trabalhista desobrigou as empresas homologar a rescisão no sindicato, com isso, as entidades sindicais têm se deparado com muitas rescisões com erros em desfavor dos trabalhadores, porém já assinadas.

A luta pelo reajuste salarial e pela defesa dos direitos garantidos na convenção coletiva só está começando e para que os metalúrgicos de Minas tenham um resultado positivo é fundamental o apoio dos trabalhadores e das trabalhadores durante todo o processo de negociação.

“Quanto mais  metalúrgicas e metalúrgicos se distanciam do sindicato mais os patrões abusam e exploram a mão de obra em troca do mínimo possível. O fortalecimento da categoria, com maior poder de compra, mais direitos e garantias servirá de motor para girar a roda da economia, impulsionando outros setores”, disse Marco Antônio, presidente da Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT Minas (FEM-CUT/MG).

Leandro Gomes

FEM-CUT/MG

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *