Pastoral Operária se pronuncia sobre fechamento da fábrica da Ford na cidade do ABC paulista

“Quem tira a vida dos pobres é assassino. Mata o próximo quem lhe tira seus meios de vida, e derrama sangue quem priva o operário de seu salário”.

(Eclesiástico 34, 21-22).

Nos dias de hoje, a classe trabalhadora enfrenta ataques aos direitos históricos conquistados e a proteção social do Trabalho, ações arquitetadas sempre em função da garantia do grande Capital em detrimento dos que só tem a força de trabalho para vender.

Nestes tempos, assistimos o extremo da ganância da burguesia capitalista, com a reforma trabalhista e a terceirização ilimitada, aprovadas pelo congresso e sancionadas pelo então Governo Temer, representante dos Patrões. Mas querem mais. Agora sua voracidade por acumular chega ao máximo com a proposta do governo Bolsonaro, novo representante dos interesses do grande capital, ao apresentar uma reforma monstruosa da Previdência Social.

E o sistema econômico ainda quer mais!

O Sistema Econômico tem no setor industrial um de seus principais representantes, a Ford, que em São Bernardo decidiu fechar a fábrica. Reunida, seu presidente e sua diretoria, com a presença de um representante dos trabalhadores, decidiram, unilateralmente, fechar a fábrica. E fechar pelo simples motivo de que não estão tendo lucros, muitos lucros.

E o fazem sem nenhum remorso, não lhes causa dor o flagelo a que jogarão centenas de milhares de famílias trabalhadoras. Não lhes causa dor, se milhares de famílias trabalhadoras irão sofrer. Cinicamente disseram ao representante dos trabalhadores: “você tem 10 minutos para comunicar nossa decisão”, Sendo que a planta no ABC tem aproximadamente 2.800 trabalhadores fora os terceirizados.

É dessa forma que o grande explorador trata aos que sempre trabalharam. É dessa maneira com que respondem aos que sempre garantiram, através do suor de seus corpos, os lucros e a insaciável fome de acumulação.

É esta sociedade burguesa capitalista que “Mata o próximo quando lhe tira seus meios de vida, e derramando sangue, priva o operário de seu salário” (Eclo 34, 22), e assim, sempre a consumir “O pão dos indigentes e a vida dos pobres” (Eclo 34, 21).

Sejamos Solidários na Justiça: Toda Nossa Solidariedade com Trabalhadoras e Trabalhadores

Deste modo, somos solidárias e solidários, com as trabalhadoras e trabalhadores da Ford São Bernardo. E reafirmamos que o trabalho digno é nosso direito, lutar por ele é nosso dever! Por isso seguimos na defesa incondicional dos direitos do povo trabalhador, nas organizações pastorais, nos partidos, sindicatos, sobretudo no meio da classe trabalhadora, por nenhum direito a menos! “Nenhuma trabalhadora e nenhum trabalhador sem direitos!” [Papa Francisco]

Deus está Conosco! Deus está com a Classe Trabalhadora!!!

Pastoral Operária

Arquidiocese de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *