Embraer dá licença remunerada a 16 mil funcionários e gera insegurança

Nesta terça (21), dia em que voltariam das férias coletivas, mais de 16 mil trabalhadores da Embraer-Boeing foram colocados em licença remunerada até segunda (27).

A Yaborã foi criada como empresa de transição até que a venda da Embraer para a Boeing seja concretizada.

Sem aviões – A Embraer deixará de fabricar aviões em São José dos Campos, SP. Sua atividade, agora, concentra-se em desenvolvimento de projetos.

Os aviões executivos e militares são produzidos na cidade de Gavião Peixoto, também em SP, e na Flórida, Estados Unidos. Já a aviação comercial está sob o comando da Yaborã.

Incerteza – André Luiz Gonçalves (Alemão), diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, vê com apreensão o anúncio de licença remunerada. “A incerteza sobre o futuro desses trabalhadores só aumenta. Agora eles não são nem Embraer nem Boeing”.

Segundo Alemão, desde que os planos de venda para a Boeing vieram a público, o Sindicato tem alertado sobre as consequências da transação para os trabalhadores e para o País. “É um momento crucial e vamos continuar na luta contra essa transação comercial e em defesa dos empregos, seja na Embraer, na Yaborã ou na Boeing”, afirma o diretor.

Agência Sindical

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *