Metalúrgicos protestam nas concessionárias da Renault contra demissões

O Movimento Brasil Metalúrgico, que congrega dirigentes ligados a diversas centrais sindicais, realiza atos em frente às concessionárias da Renault de todo o país, nesta quinta-feira (30), em protesto contra as demissões da montadora em São José dos Pinhais, no Paraná. Em plena pandemia, a Renault negou acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba e decidiu encerrar o terceiro turno da produção.

Ao todo, 747 trabalhadores foram demitidos. Entre eles, cerca de 40% que estavam afastados por motivos de saúde, de acordo com a entidade. Mas que agora, além de prejudicados por um cenário de crise econômica, também ficarão sem assistência médica. A montadora alega que adota “soluções de flexibilidade” desde o início da pandemia para enfrentar a queda nas vendas e a falta de perspectiva de retomada do mercado.

O sindicato rebate afirmando que R$ 12 bilhões foram concedidos à Renault e outras empresas do estado em incentivos fiscais, que preveem, em contrapartida, a manutenção do nível do emprego. Ainda segundo a entidade sindical, a montadora também aderiu ao Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda do governo federal. Pelo dispositivo, a empresa teve sua folha de pagamentos custeada com recursos públicos para mitigar os impactos econômicos da pandemia.

RBA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *