Mercado financeiro vê inflação maior em 2017 e mantém projeção para o PIB

Após o aumento da tributação sobre combustíveis, os economistas do mercado financeiro elevaram suas projeções para o IPCA, o índice oficial de inflação, para este ano. O Relatório de Mercado Focus divulgado na manhã desta segunda-feira (24) pelo Banco Central, mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,29% para 3,33%. Há um mês, estava em 3,48%. Já a projeção para o índice de 2018 seguiu em 4,20%, ante 4,30% de quatro semanas atrás. Na prática, as projeções de mercado divulgadas nesta segunda-feira no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%). Na última quinta-feira (20), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA-15 – considerado uma espécie de prévia para a inflação oficial – teve deflação de 0,18% em julho. Foi a menor variação porcentual para o índice desde setembro de 1998 (-0,44%). Por outro lado, o governo anunciou, também na quinta-feira, aumento da alíquota de PIS/Cofins sobre a gasolina, o diesel e o etanol. Apenas no caso da gasolina, a tributação poderá significar um aumento de R$ 0,41 para cada litro, o que gera impactos diretos e indiretos sobre os preços ao consumidor. No Focus agora divulgado, entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 passou de 3,08% para 3,10%. Para 2018, a estimativa seguiu em 4,19%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 4,48% e 3,98%, respectivamente. Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,37% para 4,40% de uma semana para outra – há um mês, também estava em 4,37%. Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para julho de 2017 foi de 0,17% para 0,15%. Um mês antes, estava em 0,18%. No caso de agosto, a previsão de inflação do Focus foi de 0,23% para 0,25%, ante o mesmo 0,25% de quatro semanas atrás. O Relatório Focus indicou também manutenção na projeção para os preços administrados neste ano. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador em 2017 seguiu com alta de 5,00%. Para 2018, a mediana permaneceu em 4,70%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 5,15% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,70% em 2018. No último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), publicado em 22 de junho, o BC projetava alta de 5,9% para os preços administrados em 2017 e avanço de 5,5% em 2018. Estas estimativas tendem a ser atualizadas no próximo relatório, que sai no dia 21 de setembro. A mediana das projeções do IGP-DI de 2017 passou de -0,55% para -0,86% da última semana para esta, segundo o Focus. Há um mês, estava em +0,37%. Para 2018, a projeção seguiu em +4,50%, mesmo valor de quatro semanas atrás. Calculados pela Fundação Getulio Vargas (FGV), os Índices Gerais de Preços (IGPs) são bastante afetados pelo desempenho do dólar e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas. Outro índice, o IGP-M, que é referência para o reajuste dos contratos de aluguel, foi de -0,23% para -0,28% nas projeções dos analistas para 2017. Quatro levantamentos antes, estava em +0,95%. No caso de 2018, o índice seguiu em +4,50%, mesmo patamar de um mês atrás. Já a mediana das previsões para o IPC-Fipe de 2017 seguiu em +3,37% no Focus. Um mês antes, a mediana das projeções do mercado para o IPC era de +3,53%. Para 2018, a projeção do IPC-Fipe permaneceu em +4,49%, ante +4,50% de um mês antes. Alta do PIB de 2017 prevista pelo Focus segue em 0,34% Os economistas do mercado financeiro mantiveram a projeção para a atividade em 2017 e 2018. A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano seguiu em 0,34% no Relatório de Mercado Focus. Há um mês, a perspectiva era de avanço de 0,39%. Para 2018, o mercado manteve a previsão de alta do PIB, de 2,00%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,10%. Em 22 de junho, o BC informou em seu Relatório Trimestral de Inflação (RTI) a manutenção em 0,5% da estimativa para o PIB em 2017. Na última sexta-feira, 21 de julho, o Ministério do Planejamento também manteve em 0,5% sua projeção para o PIB este ano, conforme o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do 3º Bimestre. No Focus agora divulgado, as projeções para a produção industrial para este ano tiveram leve piora. O avanço projetado para 2017 foi de 0,97% para 0,83%. Há um mês, estava em 0,55%. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial foi de 2,30% para 2,26, ante 2,30% de quatro semanas antes. Já a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2017 seguiu em 51,70%. Há um mês, estava em 51,50%. Para 2018, as expectativas no boletim Focus foram de 55,15% para 55,10%, ante 55,07% de um mês atrás.

Estadão conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *