Receita cobra autônomos que não recolhem INSS

A Receita Federal iniciou uma operação de combate à sonegação de contribuição previdenciária de autônomos. Segundo o órgão, foram identificados problemas na contribuição de 74.442 profissionais, que somados resultaram em uma sonegação total de R$ 841,3 milhões entre 2013 e 2015. Esses contribuintes serão notificados por meio de carta para que regularizem sua situação, recolhendo os valores devidos com os respectivos acréscimos legais, até 31 de janeiro de 2018. Só no Estado de São Paulo, serão enviadas 21.485 cartas, sendo 11.269 na capital paulista.

São alvos da operação médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, engenheiros, arquitetos, contadores, advogados, entre outros profissionais liberais, e autônomos, como pintores, eletricistas, encanadores, carpinteiros, pedreiros, cabeleireiros, entre outros. A legislação exige que essas pessoas contribuam para a Previdência Social 20% da remuneração total recebida no mês. Quem não se regularizar estará sujeito à fiscalização a partir de fevereiro, podendo receber multas que variam de 75% a 225% do valor devido. A pessoa em situação irregular também estará sujeita à representação do Ministério Público Federal para verificação de eventuais crimes contra a ordem tributária.

O próprio segurado contribuinte individual é responsável pela apuração e recolhimento da sua contribuição previdenciária (INSS) em qualquer agência bancária. Os problemas encontrados, como falta de contribuição ou valor insuficiente, e as orientações para autorregularização são explicadas na carta que está sendo enviada.

Destakjornal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *