Metalúrgicos dos EUA farão paralisação em protesto por morte de George Floyd

O UAW (Sindicato dos Metalúrgicos Norte-Americanos) enviou um documento aos trabalhadores metalúrgicos contendo orientações para os atos que serão realizados nesta sexta-feira (19) em razão da morte de George Floyd no último dia 25 de maio. A orientação é para que, na sexta-feira (19), às 8h46 da manhã (em cada fuso horário), os membros e aliados do UAW em todo o mundo façam uma pausa por 8 minutos e 46 segundos, tempo que George Floyd, de forma agonizante, permaneceu em uma rua americana implorando por sua vida. “Fazemos isso em apoio aos milhões que exigem o fim do racismo e do ódio e pedem reformas reais”, diz o documento, assinado pelo presidente Rory L. Gamble.

O presidente da Força Sindical, Miguel Torres, alerta que o brutal assassinato de George Floyd foi apenas o estopim, e um episodio a mais da serie histórica de ações violentas e racistas, cometidos pelas forças de seguranças e os sistemas de repressão nos EUA, num pais onde o racismo, o ódio e a injustiça social parecem estar estruturados e institucionalizados. “O racismo, o ódio e a injustiça social, desempenham um papel insidioso na sociedade, e estão presente em quase todos os ambientes, no local de trabalho e nos setores públicos e privados, na grande maioria dos países do mundo, inclusive no Brasil”, lembra Torres.

O sindicalista que é presidente também da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Mogi e Região diz que a luta antirracista da comunidade afro e da maioria da sociedade americana neste momento, também é a nossa luta no Brasil. “O movimento sindical brasileiro se une a luta por uma sociedade mais justa, livre de racismo e discriminação nos Estados Unidos e no Mundo.”

Rory ressalta que desde o dia do assassinato de Floyd foi possivel ver, em comunidades de costa a costa, americanos de todas as esferas da vida, negros, pardos e brancos unidos para exigir mudanças. “Estamos indignados e muito comovidos pelo assassinato covarde de Floyd que é mais uma tragédia em uma longa e triste história da divisão do racismo nos Estados Unidos. Queremos que esta divisão racial sistêmica que atormenta nossa nação desde o início tenha um fim.”

O texto destaca ainda que a liderança do UAW está trabalhando em todo o país para facilitar paradas pacíficas e ordenadas nos locais de trabalho. Mais de 150,000 trabalhadores e trabalhadoras deverão parar suas atividades.

Confira orientação do Sindicato

Como sindicalistas e americanos, ficamos indignados e comovidos com o horror da morte de George Floyd no dia 25 de maio. Foi mais uma tragédia em uma longa e triste história da divisão do racismo nos Estados Unidos.

Desde aquele dia, em comunidades de costa a costa, vimos americanos de todas as esferas da vida, negros, pardos e brancos, reunidos para exigir mudanças. Exigir – finalmente – que tratemos da divisão racial sistêmica que atormenta nossa nação desde o seu início.

Na próxima sexta-feira, 19 de junho, às 8:46 da manhã em cada fuso horário, os membros e aliados do UAW em todo o mundo farão uma pausa por 8 minutos e 46 segundos, a quantidade agonizante de tempo que George Floyd permaneceu em uma rua americana implorando por sua vida.

Fazemos isso em apoio aos milhões que exigem o fim do racismo e do ódio e pedem reformas reais.

Junte-se a nós no dia 19 de junho às 8h46, quando vamos parar de trabalhar por 8 minutos e 46 segundos para refletir sobre o terrível evento de 25 de maio e apoiar o pedido de mudança.

A liderança do UAW está trabalhando em todo o país para facilitar paradas pacíficas e ordenadas nos locais de trabalho. Mais de 150,000 trabalhadores e trabalhadoras deverão parar suas atividades.

Em solidariedade,

Rory L. Gamble

Presidente, UAW – United Auto Workers

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *